quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Previsões para 2010


O mundo da política por vezes se assemelha ao futebolístico, todos amam fazer previsões. No que concerne ao futebol a única certeza que tenho diz respeito ao acesso da RAPOSA a série A, já na politicagem o assunto é bem mais complexo.

Mau 2009 chegou já começam as especulações para o ano vindouro, creio que as próximas eleições serão atípicas, pois a cidade que decidiu os dois últimos pleitos, ou seja, Campina Grande sairá da disputa majoritária, assim, vejo se abrindo os seguintes cenários:

a)PMDB-PT : Lançarão José Maranhão novamente, atendendo a busca quase obsessiva deste senhor em voltar ao Palácio da Redenção.

b)PSDB-DEM: Aí padecem dois candidatos, Efraim Moraes e Cícero Lucena, com toda certeza será um desses dois senadores que irá para a forca em 2010, profetizo mais, protagonizaram um vexame eleitoral há muito tempo visto.

c)PSB-PTB: Sem dúvida a chapa mais polêmica, nem precisa entrar nos pormenores, eis Ricardo Coutinho como candidato absoluto e intocável, resta saber até onde chegará sua envergadura.


Posto o seguinte cenário, o embate ficará entre peemedebistas e socialistas, porém, neste fuzuê tem um personagem que passou despercebido, o qual ainda será o fiel desta balança, é ele mesmo, Cássio Cunha Lima, para onde será que ele vai com os votos de Campina?

Neste caso, só saberemos após o fim dos trâmites legais lá em Brasília, pois o posicionamento de Cássio está diretamente ligado com a sua manutenção (ou não) no cargo. E dentro de toda a sua malícia política, ele está caladinho, ainda não se pronunciou sobre nada relativo a 2010. Aliás, há poucos dias falou literalmente “nunca conversei sobre política com Ricardo”.

Entretanto, se o negócio aqui é incorporar a mãe Dinah, acredito que em caso de manutenção do poder, o atual governador, vai discretamente “migrar” para o PTB, não é a toa que Armando Abílio (antiguíssimo aliado) se filou a legenda trabalhista, e que, se diga de passagem, compõe a base de Lula em Brasília, e aqui no Estado, jura amor ao Coutinho. Daí com a ajuda de uma dose de 51 e uma sardinha de tira-gosto, vejo Abílio saindo a vice-governador nesta mesma chapa, e para fechar a bagaça, Cássio senador. Já imagino até o jingle da campanha...

Ainda não podemos ignorar a “imparcialidade”, ou melhor, a indiferença de Coutinho frente ao turbulento cenário estadual. O prefeito de João Pessoa há dois anos não dá nenhuma declaração sobre o Governo do Estado, mais nenhuma mesmo! Ricardo já está de pernas abertas esperando Cássio copulá-lo.

Já que comecei de baixo para cima, vou agourar a coligação dos senadores, essa vai tomar um sacode daqueles... Duvido muito que seja o confrareiro Ciço, ou ainda, o nepotista Efraim, conseguirá com sorte somar 15% dos votos, não esqueçamos que estas duas criaturas estão no Senado graças ao “tio Cássio” o qual, indiscutivelmente, elegeu os dois. Com isso, raciocínio lógico: sem Cássio, sem voto!

E para finalizar com chave de cobre o Zé, sinceramente, tenho plena certeza que a disputa vai pegar fogo, não há como prever o comportamento do eleitorado pessoense frente a provável união entre o prefeito e Cássio, vários cenários podem surgir desta aglutinação.

A favor do Zé, pode gerar um repúdio dos votantes da capital, sufrágios estes que retornariam para o seu lugar de origem: o PMDB.

Contra o Zé, o eleitorado de João Pessoa enxergar que a fusão com Cássio é fundamental para a cidade após milênios, voltar a ter um governador do município.

O Senador peemedebista não vai encarar a peleja desacompanhado, pelo contrário, possui uma base sólida por todo o estado, um corpo político formado por um exército de prefeitos, deputados estaduais e federais, além de um aparato midiático robusto, cujo poderio não se abalou ao longos dos últimos seis anos na oposição.

Você deve estar pensando: e Veneziano? Porque não está nestas previsões? Caros Amigos, sinceramente para encerrar de vez esse assunto e fechar a tampa do caixão, o prefeito de Campina desde o 2° turno vem numa maré de azar terrível. Inclusive, o 2º round em Campina afundou suas pretensões ao Governo do Estado, as eleições para quem está no poder é plebiscitária, e o cabeludo no 1º turno tomou um inesperado não! Lembremos que as pesquisas do Sistema Correio davam para o prefeito uma suposta aprovação superior a 80%, números os quais não bateram com o resultado das urnas.

Uma disputa que tinha tudo para ser uma barbada virou um “deus nos acuda”. É verdade que Vital venceu, contudo, a um custo muito alto, se desgastou demais. E para sacramentar a quizila, veio a pancada das demissões dos servidores municipais. Vené vem numa transição para o segundo governo com uma administração mais aguada que sopa de albergue noturno, não tem “gordura para queimar” em outra disputa no próximo ano.

Não se engane, a disputa do prefeito campinense hoje é dentro do seu próprio partido contra o Zé, digo mais, atualmente não dispõe nem de 30% da bancada peemedebista para encarar o senador e partir para o combate de 2010. Em suma, o valete cabeludo é carta fora do baralho.

Enquanto a senatoria, nem vou aqui moer o juízo dos senhores, das duas vagas uma já tem dono. Preciso falar de quem é?

A disputa será pela segunda vaga, que aliás, está muito vaga... Não tem como se fazer a mínima previsão de quem pegará o segundo assento no Senado em 2011, mas, se é para prever... Apostaria na candidatura de Wilson Santiago (PMDB).

Pois bem, apertemos os cintos que a partir do segundo semestre desse ano começará a se formar todo tipo de aliança, das mais escabrosas possíveis, veremos inimigos mortais se tornando amantes libidinosos, como também, amigos fiéis se apunhalando mutuamente ao ar livre.

Vá preparando o estômago...

2 comentários:

Luiz Felipe Caetano disse...

meus buzios dizem:

zé governador e cassio senador

o resto são favas contadas!

Flávio Renato Caetano disse...

só acredito que o PT vá pra chapa do PSB...não acho que vão se afundar com Zé não, também acho que o vice de Zé será um dos irmãos vital do rego...também acho que a chapa é Efraim governador, Romulo Gouveia vice...


forte abraço