terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Micarande em Outubro


No inicio da década de 1990 a Micarande apontava com uma festa promissora que poderia vir a render bons frutos tanto para a movimentação econômica da cidade, ainda que só por um final de semana, como também, para os políticos.

E foi o que aconteceu por mais de uma década, que o diga o clã Cunha Lima, o qual em disparado foi o principal ganhador do evento, quantas centenas de votos foram revigorados e/ou conquistados no mês de abril em Campina? Quantos discursos proferidos no Parque do Povo lotado foram feitos pelo então prefeito Cássio? Quantas vezes o carisma dos artistas baianos foram vinculados a simpatia do prefeito da cidade?

Era fato comum dentro da megalomania do povo campinense, dizer que a Micarande era a maior festa do gênero no Brasil, ou melhor, do mundo (como se acontecesse em outro país). Campina ficava 72h no ar, com uma série de eventos paralelos ao desfile dos blocos, a cidade respirava o clima de folguedo durante os três dias de folia. Ao menos, de fato conseguia trazer aventureiros de outras cidades como da capital paraibana, Natal e Recife.

O festejo em questão foi um grande filão de votos, um sucesso eleitoreiro, o problema começa quando a farra Cunha Lima termina... Desde o inicio dos anos 2000 a comemoração deixou de ser rentável, aliás, nos últimos dois anos a CDL de Campina pediu oficialmente a PMCG que não realizasse o evento, alegando prejuízo para a economia da cidade.

Se colocarmos na ponta do lápis, a festa não é mais nem de longe lucrativa, pois, o investimento é todo custeado pela Prefeitura, e os lucros direcionados a um único empresário, um tal de Luiz Augusto. Ou seja, é o público patrocinando o privado, lógica no mínimo confusa.

As despesas são imensas para um retorno inexpressivo, a Prefeitura custeia iluminação, parte da segurança, limpeza, organização do trânsito nas áreas adjacentes, aluguel de palco, trio elétrico, bandas, publicidade e etc.

Todavia, deve ficar claro que a decadência do carnaval fora de época em Campina não é de responsabilidade da atual gestão, a queda se deu em todo o nordeste por vários fatores.

A começar pelo esgotamento natural do modelo, as cidades que ainda seguem este tipo de festa reestruturaram todo o evento, principalmente, colocando-o em estacionamento de shopping e demais áreas privadas.

Ainda passa pela decadência que o principal hit da festa vem sofrendo desde o final dos anos 1990, o Axé Music agoniza, vive de um único artista (leia-se Ivete Sangalo), perdeu espaço nas rádios locais para o Forró Pornográfico (também conhecido como Forró de Plástico), e na mídia nacional, para o sertanejo sulista, o funk carioca e outros enlatados.

Estamos vivendo a maior crise do aaaa,ôôô, iiii,lê lê lê ô. As músicas made in Bahia, com seus “refrões ecléticos”, ignorando as consoantes, além de encarar a concorrência da pornografia musical vinda principalmente do Ceará, não consegue se renovar, afinal, as bandas que desfilam o estilo “fanho de cantar”, são as mesmas desde a minha infância lá nos anos 1980/1990.

A Micarande acabou por entrar nesta crise de produção dos tambores baianos, o evento foi se desgastando, e pior, não foi oportunamente alterado. Entretanto, ignorando tudo isso a Prefeitura ainda insiste na festa falida.

Acaba por ecoar como um atabaque tocado por um percussionista cotó, a estória divulgada pela gestão municipal que “a Micarande foi adiada para outubro, com o intuito de dar mais tempo para trabalhar na estrutura da festa”. Ou será tempo para prefeitura dispor de saldo bancário para patrocinar o evento?

8 comentários:

Luiz Felipe Caetano disse...

e se a micarande além de migrar de data... migrasse tbm de cidade???

Maelson disse...

Tä certo que Campina grande assim como outros municípios do Brasil tem suas debilidades econômicas, administrativas e sociais e que o uso do expoente "público privado " vem se tornando uma infeliz realidade no nosso país, dentre outras coisas mais. Ponto mas agora analisando a festa MICARANDê como um todo, lhe digo como a testemunha de um folião carioca desde 2003, que a MICARANDÊ era pois esse ano que passou foi em uma modalidade INDOOR ou seja no Palco, a melhor e o mais promissor carnaval fora de época do mundo e digo com total propriedade longe do desconhecimento que inúmeros outros países como Noruega, Estados Unidos, Espanha e etc.. Também existe esse tipo de festa com os nossos cantores nacionais. Visualisando a hipocrisia e a ignorância colacada sobre a questão do Axé Music, mais uma vez venho esclarecendo a nossa companheira e autora deste artigo que os carnavais fora de época (Micaretas), realmente tem sido realizado em estacionamento de Shopping´s e outros espaços inovadores não por decadência da modalidade de festa mas pelo aumento do público, assim chegando a cidades pelo brasil que nunca tiveram e muita das vezes não suporta o quantitativo de pessoas na festa estão fazendo a alegria de muitos cidadãos.
Pois bem, se com esse aumento irredútivel nestas modalidades de festas como se pode dizer que o público está diminuindo no axé musica, com bandas tipo AsA de Águia com mais de 6 milhões de DVD´S vendidos, com Chiclete com Banana enchendo o carnaval de Salvador sendo o ano de 2010 recorde de venda de abadás, me parece um comentário "politiqueiro" sem fundamento em defesa de uma gestão falha e anti-classista em que só se pensa no bem-estar da burguesia influente no poder, mais uma coisinha, o fato de não tocarem nas rádios todos os dias não influencia o sucesso da Arte, Elvis Presley é raramente tocado nas rádios é o líder mundial de vendas até hoje. Parece-me mais uma reprodução de pensamentos do que uma elaboração individual, ou seja confessemos que há alguém entregue ao sistema beneficente.

Anônimo disse...

E a micarande 2010 também vai ser em outubro?

Anônimo disse...

temos que lembrar que estamos num processo de globalizacao onde tudo se transforma num tempo minimo. a micarande precisa se aperfeicoar, mas o comenteraio de thiago e politiqueiro , pois , o axe music esta em lata ,principalmente pela facilidade de mudancas e adaptacoes. segundo ,temos novas xsafras de artisitas cada vez melhor . terceiro a micarande sumiu , nao por questoes economicas, mas por interresses politicos, como sempre onde o povo fica amarrado aos jogos politicos e politiqueiros da cidade .principlamente em ano de eleicao.se da prejuizo , tenta mudar a estrutura, nao fazer inddor em poalco, mas como o carnatal, fortal e o precaju,. que continuam com todo o sucesso .
deynah

Andre Brandão disse...

Campina Grande é uma cidade em que o Turismo vive de eventos, e o Turismo é a atividade que mais gera emprego no mundo, pois movimenta um grande número de seguimentos de comércios e serviços.Então por que acabar com o segundo maior evento que a cidade possui, só pode ser política. Na Paraíba, e parece que principalmente em Campina Grande, os políticos se preocupam apenas em desfazer o que seus antecessores fizeram e não em tentar melhora-la. Daqui a pouco vão acabar com o São João também, pois o de 2009 estava agonizando de tão fraco em relação a anos anteriores, mas este ano como é ano de eleição vai aparecer todo tipo de novidades para angariar votos. Diante disto deixo claro que a Micarande deve voltar sim e realmente deve ser após o São João para aproveitar e fazer uma boa divulgação da festa, mas que o povo abra o olho e entenda que o governo não faz mais que a obrigação de movimentar a cidade e gerar emprego e renda para o povo, e que quando a festa voltar ter cuidado com políticos que queiram se promover fazendo média em cima de trios elétricos.

Que volte a Micarande, a alegria e o Spazzio com o Chicletão.

Anônimo disse...

bom gente naum vai ter mais micarande so estão nos fazendo de indiotas e se a micarande naum da mais deinheiro e é ruin pra cidade é por que esses indiotas do poder deixaram isso acontecer por falta de divulgação falta de investimentos e mto mas trasformaram a micarande em uma palhaçada eles preferem o são joão pois da pra ganhar mais em cima pois é 30 dia de roubo kkkkk micarande naum acabou ACABARÃOOO

Anônimo disse...

A micarande já foi muito boa,depois da falta de segurança mães agonizavam de sofrimentoe de dor por perderem seus filhos principalmente na micarande ,vai se saber de quem é a culpa.Tantos blocos nas antigas ,mas o povo para aparecer e sem puder só queriam Sppazzio a átração da bandidagem,não por culpa do bloco nem de seus dirigentes mas por sensacionalismo do povo idiota concordo em ter acabado sim é um sossego principalmente para as mães.

Anônimo disse...

Manda esse povo ir pra natal pra ter aula de gestao pulblica!!!pois o governo de la valorisa a cultura brasileira,,o Carnatal ta se tornando a maior festa porque os dirigentes de la tem compromisso com o povo,,,porque ha investimento massiso da rede hoteleira e comercial de la!!!e o retorno nos 4 dias de festa e garantido!!agora se naum houver divugaçao investimento naum tera um retorno.a falta de investimento fez com que a micarande chegase ao fim .em natal sim a prefeitura investe e tem retorno sim.uma festa desse porte gera inpregos diretos e indiretos!!