segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

A Paraíba vota assim: Ricardo, Cássio e Efraim?!


Pronto. Acabaram as especulações, finalmente o governador cassado assume e proclama a quem quiser ouvir que o candidato dele ao Governo do Estado é Ricardo Coutinho, mas, e agora? Como fica o cenário político da Paraíba?

Há tempos já convergiam todos os observadores minimamente lúcidos para o fato anunciado hoje, o bloco capitaneado pelo clã Cunha Lima fechou pacto irrevogável (ao menos até outubro vindouro) com o prefeito da capital, ou até que uma futura eleição os separe?

Como em todo casamento meteórico fica sobrando alguém, um antigo amor sempre vai às favas... Desta vez, Cícero Lucena se contorce ao ver seus braços e pernas amputados, não há como enfrentar Cássio no colegiado tucano, pelo simples fato do PSDB ficar isolado na disputa que se aproxima, aliás, caso se mantivesse a candidatura tucana ao poder executivo, qual partido expressivo apoiaria o intento?

Cássio apenas deu um norte que naturalmente os membros do PSDB paraibano seguiriam, a campanha de Cícero não conseguiu empolgar nem um coqueiro da orla de Tambaú. E se a análise for estendida rumo ao interior a verdade é mais acachapante, e para Cícero, dolorosa, a política é o jogo do fazer e do vencer, ora! Quem quer entrar numa disputa fadado a derrota?

Com isso, fica nítido o quadro que se desenha, num lado, Maranhão e todo o bloco peemedebista, “protegidos” pelos recursos do Governo Estadual, Federal e de Prefeituras robustas, como Campina e Patos. Todavia, não é “apenas” com recursos que se faz uma candidatura, é necessário também ganhar espaço na trincheira da (des)informação, é neste momento que urge o Sistema Correio, o qual, já começou o bombardeio, elegendo como o mais novo inimigo público, Ricardo Coutinho?

Ao PMDB paraibano resta fechar a chapa, se Maranhão é nome certo, ainda está engatinhando os nomes para o Senado, quando começam aparecer Wilson Santiago e Vitalzinho, além do provável vice que virá do PT, Luciano Cartaxo. A grande questão dos postulantes ao Senado neste lado do front, é que nem estes prováveis candidatos sabem se querem de fato entrar com este traje no pleito, pois todos sabem que vão ter que disputar votos com Cássio, daí o medo?

Numa outra frente ganha vulto o bloco da oposição, o pequeno PSB se fortificou, ganhou envergadura com os novos “amigos”, PTB, PPS, DEM, PP, PDT (?), PSDB, nada mais, nada menos, que a mesmíssima base que reelegeu Cássio em 2006, e se naquela ocasião a senatoria foi para Cícero, em 2002, lembremos que eram duas vagas, daquele jingle saiu apenas Wilson Braga, e agora, Ricardo faz parte da trinca. Sucesso a vista?

Um comentário:

celia disse...

parece mais com aquela musiquinha dos três porquinhos quem tem medo do lobo mal lobo malkkkkkk esta eleição é mais impressionante,que já vi nos meus 38 anos